segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Meu diário de bordo... confissões e experiências

DIA 1 (outubro de 2008) - A Organização do grupo

Pensar em iniciar um novo grupo de professores bilíngües, é bem pesado no que tange a responsabilidade. Movimentar um grupo? Movimentar pessoas? Como é isso, o que me motiva?

Pensei seriamente em largar isso pra lá. Mas as pessoas me procuram, precisam estudar, precisam pesquisar, querem rever as coisas. E eu procuro as pessoas e vou dizendo, preciso também estudar, precisamos trocar, precisamos acrescentar uns aos outros.

Pensei num primeiro momento nas pessoas do grupo 1- elas colocaram suas questões, suas angústias, suas perspectivas, estudaram muito para o grupo.

Bom, resolvi iniciar este ano apesar do tempo curto. Mas iniciar para ver o interesse das pessoas, ver quem eu agruparia nesse momento.

Os primeiros a participarem e os primeiros que convidei, foram os que participaram do curso do ano passado. Mas outras pessoas esperavam participar tb nesse processo.

Então comecei a enviar e-mails e essas pessoas começaram a enviar e-mails para outras pessoas.

Inicialmente 25 vagas. Acabamos com 50 inscritos

A responsabilidade que nos cabe é muito grande. Ai... grande demais. Eu, sinceramente, não tenho a dimensão das coisas. Mas as pessoas que vêm, tem uma expectativa, uma esperança, uma vontade... querem algo novo, querem aprender coisas novas. Isso me provoca, isso me torna mais preocupada em produzir algo novo, que trará contribuição a essas professoras e professores.

Eles me dizem o quanto esperam, o quanto querem. Vem do interior mesmo em dia de chuva forte... eu fico mais provocada com isso.

Pensar em mapear as práticas bilíngües em nosso Estado, mostrar que há muita coisa boa sendo feita... isso me provoca. Me provoca porque quero ver as pessoas escrvendo, produzindo... meio que preciso disso também. E além disso, mostrar que as pessoas tem mais experiências pra contar do que pensam ter. Tem mais a escrever e inscrever em nós do que imaginam. E assim, como eu, mais a aprender com a experiência do outro do que possam crer.

E não posso deixar de dizer que trabalhar com alunos de graduação tb tem sido importante. Mas lamento demais não poder dar mais atenção pra isso. Muito chato mesmo ter que dar aulas em mil outros lugares para garantir meu ganha-pão. Gostaria de me dedicar a isso. E a eles.

Nenhum comentário:

Postar um comentário