sábado, 12 de dezembro de 2009

Libras- outro universo

Antes da disciplina de LIBRAS, pela qual estava tão ansiosa desde que comecei o curso, o “universo surdo” era muito distante para mim tanto quanto um estrangeiro com um idioma que não conheço. Por mais que estes surdos estejam no mesmo país ou estado em que estou, ainda assim eram “estranhos” para mim.

Só fui ter contato mesmo com os surdos quando me mudei para cá do Rio de Janeiro. A minha igreja possui um Ministério de Surdos e a primeira vez que sentei sem querer no espaço em que eles assistiam o culto fiquei fascinada pelo modo como eles participavam e prestei mais atenção no intérprete do que no culto. Depois disso não tive mais coragem de sentar lá por conta própria e ainda com um pouco do vocabulário que adquiri de LIBRAS não tenho segurança pra conversar com eles por isso pretendo me aprofundar mais nesse idioma.

A partir desse semestre admiro mais ainda essa comunidade e quem trabalha com ela na escola devido à dificuldade de que é traduzir o português para LIBRAS sem perdas do conhecimento escolar. É muito bom conhece-los desta nova perspectiva.
Mas o que tirei de mais importante é que apesar de não falarem com suas cordas vocais eles têm sua própria voz, uma identidade muito forte e são tão diferentes como todos nós somos uns dos outros, cada um com sua particularidade.

Natália Vieira Ávila- Pedagogia UFES

Nenhum comentário:

Postar um comentário